• Atendimento
Encerrados os Jogos Olímpicos e as Paralimpíadas Rio 2016, a hora é de Cinema, Audiovisual e Direitos Autorais. O Rio de Janeiro sediou, entre os dias 28 e 30 de setembro, o Congresso Mundial dos Criadores do Audiovisual, evento internacional que contou com gestores e advogados da América Latina (Argentina, Chile, Colômbia e México), Itália, França, Espanha, Portugal, Grã-Bretanha, Alemanha, Hungria, Polônia, Croácia; da África e Ásia/Pacífico, como China, Índia, Austrália e Japão, para debater a questão do direito autoral no âmbito audiovisual.
 
Os convidados para o evento internacional foram de alto nível: Nelson Pereira dos Santos, Cacá Diegues e João Batista de Andrade; o argentino Marcelo Piñeyro (ganhador de 21 prêmios, entre eles dois “Goya”); Silvio Caiozzi, diretor chileno, indicado ao “Leão de Ouro”; Ciro Guerra, diretor colombiano autor de “O Abraço da Serpente”, indicado ao “Oscar”; Pepe Sanchez, cineasta que dá o nome à nova lei do direito autoral da Colômbia; Rubén Galindo, diretor e ator mexicano; e os escritores e roteiristas brasileiros, Maria Adelaide Amaral, Lauro César Muniz, Marcílio Moraes e Marcos Bernstein. (Fonte: REVISTADECINEMA.uol.com.br. Veja em https://goo.gl/HhmlHp)
 
Um convidado especial esteve presente:  o advogado Sydney Sanches, representando a OAB-RJ. Isso porque o evento, que aconteceu no Windsor Atlântico Hotel, em Copacabana, discutiu, em seus diversos painéis, o histórico dos direitos autorais no Brasil e suas injunções jurídicas e institucionais até a sua repercussão econômica e cultural na vida do país. Tudo isso com o testemunho dos cineastas convidados.
 
Foi a primeira vez que ocorreu a distribuição de direitos autorais, com pagamento referente a 95 obras de 40 diretores de cinema, televisão e animação. O total dessa distribuição chegou aos US$ 142 mil (aproximadamente R$ 465 mil), que foram repatriados da Argentina. A cerimônia - aberta para convidados e ao público - aconteceu no Museu Histórico Nacional em 28.09.
 
A Escola de Comunicação e Design Digital do Instituto Infnet, a ECDD, já estava alinhada ao movimento audiovisual, vocação carioca impulsionada pela Lei do Audiovisual. Assim como antes, a ECDD apoia toda a seriedade que os Direitos Autorais representam na vida profissional de nossos